Alexandre De Maio começou sua carreira no jornalismo editando revistas de Hip-Hop de 1999 a 2009.

Em 2006 lançou seu primeiro livro, uma HQ chamada “Os inimigos não mandam flores'' (Ed. Pixel).
Nesse mesmo período começou a dirigir videoclipes.

Em 2010 entrou no início do site Catraca Livre onde se tornou sócio, e hoje, é Diretor de Audiovisual e Projetos.

Desde 2010 vem desenvolvendo uma carreira paralela de Jornalismo em Quadrinhos trabalhando para os principais veículos de comunicação do país como Estadão, Folha, Veja, entre outros, e especialmente a Agência Pública onde ganhou o Prêmio Tim Lopes de Jornalismo Investigativo, em 2013, pela reportagem “Meninas em jogo” sobre exploração sexual infantil.

No mesmo ano lançou a HQ Desterro (Ed.Anadarco).

Em 2016 foi a França a lançar três livros, Génération Favela (Ed. Ateliers Henry Dougier), Jesuis Rio e a versão francesa do Desterro (Ed. Anacaona).

Em 2017 ganhou o prêmio "Amico Rom" na Itália pelas ilustrações do Guia Cigano.
Em 2018 lançou seu primeiro livro solo de jornalismo em quadrinhos, intitulado Raul (Ed. Elefante).

Entre 2011 e 2020 fez diversas animações para documentários, como no recente Amarelo do Netflix.

Em 2021 ganhou o Prêmio Ciência e Saúde do The International Center for Journalists (ICFJ) na categoria inglês com uma matéria em quadrinhos sobre a Covid nas periferias paulistas, concorrendo com 672 inscrições de todo o mundo.

Back to Top